top of page
Buscar

Auriculoterapia: principais aplicações


A Auriculoterapia (AT) é um método terapêutico que utiliza o exame e a intervenção sobre determinados pontos do pavilhão auricular para diagnosticar e tratar diferentes tipos de patologias.


Esta terapia é considerada, hoje em dia, uma especialidade dentro da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e, também, um dos mais populares microssistemas da Acupunctura, dentro e fora da China. A sua grande aceitação e difusão deveu-se, sobretudo, aos resultados benéficos comprovados e ao facto de ser um método pouco invasivo e, praticamente, sem efeitos adversos.


Uma das explicações científicas para a obtenção de resultados terapêuticos através do estímulo de pontos no pavilhão auricular, é a relação deste com o Sistema Nervoso Central (SNC).


Esta terapia complementar, para além de apresentar uma opção bastante benéfica para patologias de medicina interna, é amplamente usada nos tratamentos de dor. Além de ser segura, ter um baixo custo e ser pouco invasiva, relativamente a outras abordagens, o seu efeito no alívio de diversos tipos de dores, crónicas e agudas, foi comprovado em diversos estudos.


Os efeitos desta terapia na dor justificam-se de diferentes formas. A nível neurofisiológico, os estímulos nas terminações nervosas do pavilhão auricular transmitem-se do Sistema Nervoso Periférico (SNP), através dos nervos da espinha e dos nervos cranianos, para o SNC, levando à libertação de neurotransmissores que regulam os mecanismos que controlam a dor. Ativa-se, assim, a via neural descendente e libertam-se endorfinas no corno posterior da medula espinhal, fazendo com que a propagação e a perceção do estímulo doloroso pelo SNC seja mais difícil.


Uma das grandes aplicabilidades da AT ao nível da dor é, por exemplo, em casos de lombalgia. Traduz-se na dor lombar, uma algia que se localiza no fundo das costas, mais propriamente, entre a parte inferior do dorso - desde a última costela - até à prega glútea. Esta patologia afeta aproximadamente 60-80% da população mundial, tendo 20% desenvolvido sintomas crónicos.








Raquel Diogo

Especialista em Medicina Tradicional Chinesa

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page